Atuais

TUTORA
Mayara Ingrid Sousa Lima

Graduou-se em Ciências Biológicoas pela Universidade Federal do Maranhão em 2008, participando do PETBio por quatro anos. Possui mestrado em Biotecnologia em Saúde pela Fundação Oswaldo Cruz e doutorado em Genética e Bioquímica pela Universidade Federal de Uberlândia. Atualmente é Professora Efetiva da Universidade Federal do Maranhão, lecionando para os cursos do Centro de Ciências Biológicas e da Saúde. Ingressou como tutora do PETBio em 2016, tendo orientado a elaboração de diversas iniciativas do grupo desde então, incluindo a avaliação dos textos do boletim PETBio.

CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/7580136116595038

 

PETIANOS

 

Thalita Moura Silva Rocha

Ingressou no curso de Ciências Biológicas da UFMA (modalidade Bacharelado) no primeiro semestre de 2013 e entrou para o PETBio em setembro de 2014. No PETBio gerencia o almoxarifado, supervisiona dos pagamentos de multas e contribuições, o caixa do grupo e participa do corpo editorial do boletim PETBio. Atualmente é estagiária no Laboratório de Genética e Biologia Molecular (LabGeM – UFMA), onde desenvolve pesquisas na área de Genética Animal com ênfase em genética de aves sob a orientação do Prof. Dr. Luís Fernando Carvalho Costa. Suas áreas de interesse são Genética da conservação, genética animal e ecologia de populações.
Sua opinião sobre a importância do PET para a formação:“O PET proporciona, não só pra mim, mas para todos que estao no programa, ter contato diário com diversos temas da biologia. A experiência de fazer parte de um grupo extremamente organizado e com objetivo de estar sempre buscando melhorar, é única. Aprendemos não sá a melhorar nosso desempenho acadêmico, mas também a aprender a ouvir o outro. “
CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/8953587534427576

 

Mairla Santos Colins

Ingressou no curso de Ciências Biológicas da UFMA (modalidade Bacharelado) no primeiro semestre de 2013 e entrou para o PETBio em setembro de 2014. No PETBio gerencia o almoxarifado, registra as reuniões do grupo no caderno de reuniões, supervisiona dos pagamentos de multas e contribuições e faz parte do corpo de edição do boletim PETBio. Atualmente é estagiária do Laboratório de Ecologia e Sistemática de Insetos Polinizadores e Predadores – LESPP, sob orientação da professora Dra. Gisele Garcia Azevedo, onde trabalha com a ordem de insetos Lepidoptera (mariposas, borboletas e traças), com ênfase nas borboletas. Dentro desse grupo, tem como enfoque a análise da eficácia da atratividade de diferentes iscas em borboletas frugívoras, que resultará em sua monografia. Suas áreas de interesse são Entomologia, Ecologia, Zoologia e Taxonomia.
Sua opinião sobre a importância do PET para a formação:“Sempre soube que um(a) biólogo(a) deveria ter um olhar interdisciplinar, porém, só soube o real sentido disso quando entrei no PET. Após um pouco mais de um ano, ainda sinto a sensação de que a cada vez mais o PET pode me proporcionar novas visões de diferentes assuntos, e que isso só enriquecerá minha formação. Estar no PET é uma ótima oportunidade de se tornar um excelente aluno, mas acima de tudo, um futuro profissional de excelência.”
CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/8023000669221591

 

Gabriela Cristina Fonseca Almeida

Ingressou no curso de Ciências Biológicas da UFMA (modalidade Licenciatura) no segundo semestre de 2013 e entrou para o PETBio em agosto de 2015. No PETBio organiza a frequência dos encontros do grupo e os eventos comemorativos, gerencia os arquivos do PETBio e participa da comissão de avaliação dos textos do boletim PETBio. Atualmente é estagiária do Laboratório de Ecologia e Sistemática de Insetos Polinizadores e Predadores (LESPP) sob a orientação da professora Drª Gisele Garcia Azevedo. Também realiza trabalho voluntário no Rotaract Club de São Luís. Suas áreas de interesse são Ensino de Ciências, Educação Especial, Ecotoxicologia e Ecologia.
Sua opinião sobre a importância do PET para a formação:“O PET é importante para meu desenvolvimento como aluna, profissional e pessoa. Aprendemos muito sobre biologia e educação, mas também aprendemos a trabalhar em grupo e a respeitas as diferenças. O desenvolvimento da oratória, da escrita e leitura de diversos textos e em língua estrangeira tem papel importante na formação acadêmica e para um diferencial profissional.”
CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/0053524979309312

 

Greyck Willyan Marques Santos

Ingressou no curso de Ciências Biológicas da UFMA (modalidade Licenciatura) no segundo semestre de 2013 e entrou para o PETBio em novembro de 2015. No PETBio é responsável pela manutenção do site e da divulgação das atividades do grupo nas redes sociais, participa da seção de Entrevista do Boletim PETBio UFMA, elabora gerencia a frequência dos encontros do grupo. Atualmente trabalha com dispersão de sementes de Vanilla palmarum Lindl, na região de São Luís, Maranhão, pelo Projeto Orchidaceae sob orientação do Prof. Dr. Alessandro Wagner Coelho Ferreira, além de acompanhar as linhas de pesquisa desenvolvidas pelo projeto Queamar (Quelônios Aquáticos do Maranhão). Suas áreas de interesse são Paleontologia, botânica e biologia marinha.
Sua opinião sobre a importância do PET para a formação:“O PET Biologia serve de inúmeras maneiras ao adequar os alunos que encontram diversos estudos e dinâmicas que propiciam um desenvolvimento apto à várias futuras situações no ambiente de trabalho ou como cidadãos, de maneira especial o PET desenvolve o melhor de mim e digo que nenhuma formação é a mesma depois de ser integrante do programa.”
CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/1205181263553950

 

Léo Nava Piorsky Dominici Cruz

Ingressou no curso de Ciências Biológicas da UFMA (modalidade Bacharelada) no primeiro semestre de 2015 e entrou para o PETBio em janeiro de 2016. No PETBio é responsável pela manutenção do site do grupo, confecção de cartazes e certificados, divulgação das atividades por e-mail, supervisão dos pagamentos de multas e contribuições e faz parte da equipe de avaliação dos textos do boletim PETBio. Atualmente é estagiário no Laboratório de Genética e Biologia molecular (LabGeM) e no Laboratório de Entomologia e Vetores (LEV), pelos quais investiga a presença de endossimbiontes e a caracterização de genes relacionados à olfação em insetos vetores de doenças. Suas áreas de interesse são Genética Animal, Biotecnologia, Aprimoramento genético, Zoologia, Entomologia e Microbiologia.
Sua opinião sobre a importância do PET para a formação:“O Programa de Educação Tutorial do curso de Ciências Biológicas é, para mim, um meio pelo qual os graduandos podem complementar não apenas sua formação acadêmica, mas seus conhecimentos a respeito das ciências com as quais desejam trabalhar. Além disso, os petianos são constantemente convidados a crescer como indivíduos, pois expandem suas pesquisas para fora do meio acadêmico, visando alterar positivamente a realidade de incontáveis comunidades. Consequentemente essas atividades resultarão em ganhos mútuos para pesquisadores e participantes. O PET também traz muitos benefícios para o curso, uma vez que traz experiências que promovem a interação entre professores, estudantes e outros pesquisadores, por meio de ciclos de seminários, mesas redondas, minicursos e muito mais. Posso dizer que minha permanência no programa deve-se às atividades promovidas por ele, atividades estas que me trouxeram conhecimentos não explorados normalmente no curso e que me levaram a adotar uma visão da Biologia não como um curso ou uma ciência com disciplinas e campos definidos e independentes, mas como algo que engloba múltiplos caminhos para o estudo e compreensão do fenômeno conhecido como vida.”
CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/0984307506796561

 

Glacyane Winne Tavares Moraes

Ingressou no curso de Ciências Biológicas da UFMA (modalidade Licenciatura) no segundo semestre de 2014 e entrou para o PETBio em janeiro de 2016. No PETBio participa da seção de Entrevista e do corpo editorial do Boletim PETBio, além de elaborar a divulgação das atividades pelas redes sociais, gerenciar os arquivos do grupo e elaborar as confraternizações do grupo. Atualmente é integrante do grupo de pesquisa QUEAMAR, orientada pela Profª. Drª. Larissa Barreto. Suas áreas de interesse são Biologia Marinha e estudo de quelônios.
Sua opinião sobre a importância do PET para a formação:“O PETBio vem representar a oportunidade de desenvolver um universitário responsável e consciente dos seus deveres como futuro biólogo e como participante ativo da sociedade, instigando o participante a nutrir-se do conhecimento biológico e como o mesmo pode vir a ser aplicado em benefício da sociedade.”
CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/6817820440202727

 

Ana Carolina de Araújo Butarelli

Ingressou no curso de Ciências Biológicas da UFMA (modalidade Bacharelado) no primeiro semestre de 2015 e entrou para o PETBio em janeiro de 2016. No PET participa da organização geral, dos arquivos e do almoxarifado, cadernos de registro de seminários e compõe a equipe de avaliação dos textos do boletim. Suas áreas de interesse são Microbiologia, Imunologia, Genética, Biologia Celular, Botânica, Zoologia.
Sua opinião sobre a importância do PETBio para a formação:“O Programa de educação tutorial é de grande relevância para os graduandos, pois possibilita um aprendizado multidisciplinar e um crescimento profissional. Ampliar o senso crítico dos pesquisadores, incentivar a prática da escrita e de projetos de extensão, e moldar o aluno para ser responsável em sua futura área de atuação, são pontos positivos proporcionados pelo pet.”
CV Lattes:

 

Ana Luiza de Araújo Butarelli

Ingressou no curso de Ciências Biológicas da UFMA (modalidade Bacharel) no primeiro semestre de 2016 e entrou para o PETBio em Setembro de 2016. No PETBio possui funções na confecção de certificados, na preparação dos aniversários e confraternizações do grupo e na organização dos arquivos. No curso, participa da confecção de um atlas histológico virtual, vinculada ao laboratório de Histologia, sob a orientação da professora Drª Melaine Lawall, além disso, acompanha pesquisas no laboratório de Fisiologia Vegetal, sob a supervisão da professora Drª Ilisandra Zanandrea. Suas áreas de interesse são Histologia, citologia, zoologia, ecologia, genética e microbiologia.
Sua opinião sobre a importância do PET para a formação:“O PETBIO é uma oportunidade única de aprendizado. Além de contribuir, de forma interdisciplinar, no amadurecimento acadêmico e pessoal, nos ensina a sermos profissionais mais engajados e comprometidos.”
CV Lattes: http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K8012877P6

 

Thauana Oliveira Rabelo

Ingressou no curso de Ciências Biológicas da UFMA (modalidade Licenciatura) no segundo semestre de 2014 e entrou para o PETBio em Setembro de 2016. No PETBio elabora a divulgação das atividades do grupo por e-mail e redes sociais, organiza a frequência das reuniões e faz parte da equipe de entrevista para o boletim. Dentro do curso, é membro do Laboratório de Ecologia Animal da UFMA na linha de pesquisa em Ecologia animal com foco em Ornitologia, desenvolvendo trabalho com dieta e seletividade de presas de Calidris canutus na costa do Maranhão, Brasil, sob a orientação do Prof. Dr. Carlos Martínez e Coorientada pelo Drº Carlos David da Silva Oliveira dos Santos. Suas áreas de interesse são Ecologia, Zoologia, Conservação, Genética e Psicobiologia.
Sua opinião sobre a importância do PET para a formação: “Desde que tive contato com o PET, percebi a importância que o programa exerce em seus participantes através da troca mútua não só com a graduação, como com outros grupos na sociedade, através dos projetos de ensino, pesquisa e extensão. Sendo assim, o PETBio oportuniza não só a construção de um profissional engajado e ativo em sua área , como também permite a troca de saberes e estimula a escrita cientifica e o pensamento critico e social desse indivíduos, o tirando de sua zona de conforto. O programa é uma experiência impar que deveria ser vivida por muitos outros.”
CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/1685985182787166

 

Eulália Cristine Guimarães Silva

Ingressou no curso de Ciências Biológicas da UFMA (modalidade Bacharel) no primeiro semestre de 2015 e entrou para o PETBio em Setembro de 2016. No PETBio possui funções na preparação dos aniversários e confraternizações do grupo, na escrita do caderno de reuniões, no gerenciamento do caixa e na confecção de cartazes. Dentro do curso, participou como Voluntária no projeto QUEAMAR (Quelônios Aquáticos do Maranhão), e atualmente é membro do Laboratório de Ecologia Animal da UFMA na linha de pesquisa em Ecologia animal com foco em Ornitologia, além de ser voluntária no projeto Engajamundo. Suas áreas de interesse são Ecologia, Conservação, Zoologia e Botânica.
Sua opinião sobre a importância do PET para a formação: “O Programa de Ensino Tutorial é uma forma de desenvolver a capacidade de comunicação oral, aperfeiçoamento de línguas estrangeiras além da permuta de ideias realizadas nas reuniões entre os membros.”
CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/9429569797582730
Anúncios