Egressos

PETIANOS EGRESSOS

Cada aluno que passou pelo PET deixou um pouco de si através de dedicação e empenho, assim como o programa fez a diferença em suas vidas. Nada mais justo que deixar esse espaço dedicado aos nossos queridos egressos, que tanto contribuiram para que o PETBio se tornasse o que é hoje. O PET Biologia informa que devido ao grande quantitativo de egressos e egressas do programa, pode haver nomes de petianos e petianas que não constam nessa lista. Caso você seja um egresso, envie um e-mail para petbioufma@gmail.com manifestando interesse em deixar seu depoimento aqui na página!

TUTORES
Mayara Ingrid Sousa Lima

Graduou-se em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Maranhão em 2008, participando do PETBio por quatro anos. Possui mestrado em Biotecnologia em Saúde pela Fundação Oswaldo Cruz e doutorado em Genética e Bioquímica pela Universidade Federal de Uberlândia. Atualmente, está realizando Pós-Doutorado no grupo de Genômica Populacional Microbiana da Universidade de York, Reino Unido (2020). Coordena o Grupo de Pesquisa em Biotecnologia e Genética aplicadas à saúde (BioGen), que está vinculado ao Laboratório de Genética e Biologia Molecular da UFMA. É também tem vínculo com o programa de Pós-Graduação em Saúde e Ambiente da UFMA.  Foi tutora do PETBio de 2016 a 2019, tendo orientado a elaboração de diversas iniciativas do grupo, como projetos, avaliação dos textos do Boletim PETBio, bem como contribuído para a formação de inúmeros petianos.
CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/7580136116595038
Gisele Garcia Azevedo

Formou-se em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA) em 1992, obtendo título de Mestre em Entomologia em 1996 pela Universidade Federal de Viçosa (UFV) e doutorado em Entomologia pela Universidade de São Paulo (USP) em 2001. Foi tutora do PET Biologia de 2005 a 2015, tendo, nesse período, orientado diversas inciativas do PETBio, bem como contribuído para a formação de inúmeros petianos e ajudado a construir um espaço para o crescimento profissional e pessoal dos membros do grupo. Atualmente leciona para o curso de Ciências Biológicas, vinculada ao Departamento de Biologia da Universidade Federal do Maranhão.

CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/1267340018498568

 

Profº Drº Manuel Alfredo Araujo Medeiros
Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Maranhão (1987), mestrado em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Pará (1994) e doutorado em Geociências pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2001). Atualmente é professor associado da Universidade Federal do Maranhão. Tem experiência na área de Zoologia, com ênfase em Paleontologia de Vertebrados, atuando principalmente nos seguintes temas: Formações Itapecuru e Alcântara (Albiano e Cenomaniano), Cretáceo do Maranhão.
CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/1059798585946068

 

Profº Drº Silvio Gomes Monteiro
Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Maranhão (1988), mestrado em Genética (1992) e doutorado em Genética pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP-USP – 1997). Atualmente é professor adjunto da Universidade CEUMA e professor associado da Universidade Federal do Maranhão. Tem experiência na área de Genética, com ênfase em Genética Quantitativa e de Populações e Evolução, atuando principalmente nos seguintes temas:morfometria, genética, biologia molecular e Mutagênese ambiental. É Editor da Revista de Investigação Biomédica. Membro da Comissão de Avaliação de Cursos Superiores do Maranhão. Consultor Ad hoc da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Maranhão (FAPEMA). Coordenador de Iniciação Científica da Universidade Ceuma. Atualmente, faz parte do Mestrado de Meio Ambiente da Universidade Ceuma, trabalhando com a parte de Epidemiologia Ambiental e de doenças infecto-parasitárias, principalmente ISTs e AIDS em populações de risco no Estado do Maranhão. Prêmio FAPEMA Sérgio Ferretti Pesquisador Sênior Ciências Biológicas 2018.

CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/1682966336184874

 

Profª Drª Gilda Vasconcellos de Andrade
Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual de Campinas (1982), mestrado (1987) e doutorado (1995) em Ecologia pela Universidade Estadual de Campinas e pós-doutorado em Ecologia e Conservação pela Universidade da Flórida (2007). Admitida por concurso público em 1988 na Universidade Federal do Maranhão, onde se aposentou como professora titular em fevereiro de 2019 e onde mantem vinculo como professora voluntária. Ministrou disciplinas e foi professora orientadora no Programa de Mestrado em Biodiversidade e Conservação (PPGBC) de 2005 a 2019, e no de Doutorado da rede BIONORTE, reconhecidos pela CAPES, onde ainda atua. Foi coordenadora do PPGBC de junho de 2011 a fevereiro 2016 e vice-coordenadora deste programa até outubro de 2017. Tem experiência na área de Ecologia e Zoologia, com ênfase em Ecologia e Conservação, atuando principalmente nos seguintes temas: Padrões de Diversidade, História de Vida, Ecologia e Conservação de Vertebrados, com ênfase em Anfíbios (adultos e girinos), Ecologia e História Natural de anfíbios, lagartos e serpentes, Taxonomia de anfíbios e squamatas e Citogenética de anfíbios.

CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/1762004877075277

 

Profª Drª Emília Cristina Girnos
Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1978), mestrado em Ciências Biológicas (Biologia Vegetal) pela UNESP(1985) e doutorado em Ciências Biológicas (Biologia Vegetal) pela UNESP (1993). Atualmente é professor associado da Universidade Federal do Maranhão. Tem experiência na área de Botânica, atuando principalmente na área de Morfologia e Anatomia Vegetal.  

CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/2364571209468216

PETIANOS
Thalita Moura Silva Rocha

Graduada em Ciências Biológicas grau Bacharelado pela Universidade Federal do Maranhão. Realizou estágio no Laboratório de Genética e Biologia Molecular (LabGeM – UFMA), durante os anos de 2014 e 2017, desenvolvendo trabalhos com biologia molecular. Também realizou estágio no Laboratório de Ecologia Animal, no Grupo de Estudos em Ornitologia e Mastozoologia realizando trabalhos de ecologia alimentar. Foi bolsista no Programa de Educação Tutorial (PET) do curso de Ciências Biológicas da UFMA durante 4 anos, onde desenvolveu projetos nas áreas de Ensino, Pesquisa e Extensão.
CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/8953587534427576

 

Mairla Santos Colins

Bacharela em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Maranhão – UFMA (2018). Mestranda no Programa de Pós-Graduação em Biodiversidade e Conservação (PPGBC/UFMA), pela orientação do Prof. Dr. Leonardo Teixeira Dall’Agnol. Faz parte do Grupo de Pesquisa em Bioprospecção, Biodiversidade e Biotecnologia – GB3, inserido no Laboratório de Genética e Biologia Molecular -LabGem/UFMA. Atua na área de Microbiologia Ambiental, com enfoque em microrganismos com interesse biotecnológico.
CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/8023000669221591

 

Gabriela Cristina Fonseca Almeida

Graduada em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Maranhão – UFMA. Foi bolsista no programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência – PIBID e no Programa de Educação Tutorial – PET. Durante a graduação foi estagiária do Laboratório de Ecologia e Sistemática de Insetos Polinizadores e Predadores- LESPP.
CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/0053524979309312

 

Greyck Willyan Marques Santos

Acadêmico em Ciências Biológicas (Licenciatura) pela Universidade Federal do Maranhão, estagiário bolsista no Centro de Pesquisa em Arqueologia e História Natural do Maranhão, vinculado ao Laboratório de Paleontologia (DEBio/UFMA) sob a orientação do Prof. Dr. Manuel Alfredo Medeiros. Membro do Grupo de Pesquisa em Ensino de Ciências e Biologia (GPECBio/UFMA) e Grupo de Estudos em Divulgação Científica e Educação Ambiental (DiCEA/UFMA). Foi bolsista no Programa de Educação Tutorial Biologia (PETBio/UFMA) com supervisão da tutora Profª.Drª. Mayara Ingrid Sousa Lima, entre maio de 2017 e fevereiro de 2019 , tendo sido voluntário no programa anteriormente desde novembro de 2015, onde realizou atividades de ensino, pesquisa e extensão, sendo membro do corpo editorial do Boletim PETBio. Foi Membro do Diretório Acadêmico (D.A) Maurício Mendonça, nos anos de 2016 e 2017. Atuou como bolsista voluntário a do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica – PIBIC, onde desenvolveu trabalho com dispersão de sementes de Vanilla palmarum Lindl. na região de São Luís (Maranhão) sob orientação do Profª Dr. Alessandro Wagner Coelho Ferreira (2015-2016). Atua também como assistente de câmera e assistente de produção pela produtora Kalú – Produções Artísticas e Culturais na produção de documentários. Tem interesse nas áreas: paleontologia de vertebrados; biogeografia; história da ciência; divulgação científica; ensino de evolução e paleontologia; produção de documentários. 
CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/1205181263553950

 

Léo Nava Piorsky Dominici Cruz

Mestrando pelo programa de Biologia Parasitária do Instituto Oswaldo Cruz (IOC), Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), do Rio de Janeiro, vinculado ao Laboratório de Biologia Molecular de Insetos (LABIMI). Bacharel em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA), onde trabalhou com identificação molecular de microrganismos de insetos vetores pelo Laboratório de Genética e Biologia Molecular (LabGeM) e Laboratório de Entomologia e Vetores (LEV), por onde também participou na manutenção da colônia de Lutzomyia longipalpis. Egresso do Programa de Educação Tutorial (PET) de Ciências Biológicas (como bolsista) e do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC), ambos pela UFMA. Possui experiência em técnicas de biologia molecular, coleta de insetos vetores e sua manutenção em laboratório, manutenção de roedores de biotério utilizados para fins de pesquisa e cultivo in vitro de protozoários do gênero Leishmania. Técnico em informática pelo Instituto Federal do Maranhão, com ênfase em linguagens de programação. Áreas de interesse: entomologia molecular, interação microrganismo-invertebrado, biologia parasitária e biologia molecular em geral.
CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/0984307506796561

 

Glacyane Winne Tavares Moraes

Graduando em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA). Foi Bolsista do Programa de Educação Tutorial – PET de Biologia pela Universidade Federal do Maranhão de 2016 à 2019, pelo qual participou e organizou atividades e projetos de Ensino, Pequisa e Extensão, durante o mesmo período foi membro do corpo editorial do Boletim PETBio. Voluntária do Centro de Pesquisa e História Natural e Arqueologia do Maranhão.
CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/6817820440202727

 

Ana Carolina de Araújo Butarelli

Ingressou no curso de Ciências Biológicas da UFMA (modalidade Bacharelado) no primeiro semestre de 2015 e entrou para o PETBio em janeiro de 2016. Suas áreas de interesse são Microbiologia, Imunologia, Genética, Biologia Celular, Botânica, Zoologia.
CV Lattes:

 

Ana Luiza de Araújo Butarelli

Graduanda em Ciências Biológicas (Bacharelado) pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA), estagiária do Laboratório de Imunologia Aplicada ao Câncer (LIAC). Tem interesse nas seguintes áreas: Imunologia, Oncologia, Genética, Biologia Molecular, Biotecnologia, Bioquímica, Bioinformática e Histologia.
CV Lattes: http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K8012877P6

 

Thauana Oliveira Rabelo

Graduanda do Curso de Ciências Biológicas da Universidade Federal do Maranhão desenvolvendo pesquisa com Etnobotânica em comunidades tradicionais da Baixada Maranhense,estagiária do Herbário do Maranhão – Mar e do Laboratório de Estudos Botânicos LEB/UFMA, onde desenvolvo atividades voltadas para manutenção do acervo virtual do Herbário do Maranhão – MAR. Já atuei como bolsista da Rede de Pesquisas da Baixada Maranhense – Financiada pela Fundação de Amparo a Pesquisa e Tecnologia do Estado do Maranhão, fui bolsista por 2 anos do Programa de Educação Tutorial da Biologia – PETBiologia. Tem interesse nas seguintes áreas: Botânica, Etnobotânica, Conservação e Biodiversidade, Ensino de Ciências Biológicas, Ecologia. 
CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/1685985182787166

 

Eulália Cristine Guimarães Silva

Ingressou no curso de Ciências Biológicas da UFMA (modalidade Bacharel) no primeiro semestre de 2015 e entrou para o PETBio em Setembro de 2016. Dentro do curso, participou como Voluntária no projeto QUEAMAR (Quelônios Aquáticos do Maranhão). Graduanda em Ciências Biológicas (Bacharelado) pela Universidade Federal do Maranhão- UFMA. Atualmente é bolsista pelo Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica e estagiária no Laboratório de Estudos Botânicos (LEB) onde desenvolve projetos com levantamento florístico de herbáceas e lenhosas em uma Unidade de Uso Sustentável. Tem interesses nas seguintes áreas: Botânica, Ecologia, Florística, Biologia da Conservação e Educação.
CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/9429569797582730
Leonardo Manir Feitosa

Aluno de graduação do curso de Ciências Biológicas da UFMA. Participou do PETBio por dois anos.
A importância do PET para sua formação: “A experiência de ter sido parte do PET fez com que eu amadurecesse rapidamente, tanto como futuro profissional quanto cidadão. Faz você enxergar o mundo e a vida com outros olhos e a ser mais responsável. O PET proporcionou o meu projeto de monografia e foi essencial para que eu obtivesse sucesso no Ciência sem Fronteiras.”
CV Lattes:

 

Diego Marinho Pereira

Formou-se em Ciências Biológicas na UFMA, no semestre 2015.2. Participou do PETBio por três anos.
A importância do PET para sua formação: “O PET foi fundamental para eu começar a falar em público, inclusive hoje gosto de dar aulas por causa das experiências no seminário. Também contribuiu muito para eu estudar coisas fora das disciplinas, de sair da minha zona de conforto com diversos assuntos dentro da biologia e a crescer como pessoa, estudante e profissional.”
CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/4230364130510516

 

Lucas Pereira Martins

Formou-se em Ciências Biológicas na UFMA em 2015, participando do PETBio por três anos. Atualmente é mestrando em Ecologia e Evolução no Instituto de Ciências Biológicas (ICB) da Universidade Federal de Goiás.
A importância do PET para sua formação: “O PET foi extremamente importante como um meio de complementar a minha formação em Ciências Biológicas. Ao longo da graduação e durante as provas que fiz para a pós graduação, pude perceber como o PET me ajudou a assimilar e entender conceitos de Evolução e Ecologia. Ademais, o PET é um ótimo meio de melhorar a capacidade de trabalho em grupo, de discussão e a oratória de seus participantes. Por último, este programa representa um meio no qual estudantes do curso podem entrar em contato com atividades de extensão, enriquecendo a visão crítica e uma maior participação com as questões sociais de nosso país.”
CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/1182299204150424

 

Agostinho Cardoso Nascimento Pereira

Formou-se em Ciências Biológicas na UFMA em 2013, participando do PETBio por aproximadamente quatro anos e meio. Atualmente é mestrando em Biodiversidade e Saúde pelo Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz-RJ) e sua linha de pesquisa envolve o estudo de mosquitos (Culicidae) em áreas protegidas.
A importância do PET para sua formação: “Muito do conhecimento que tenho hoje devo ao PET, pois durante minha estadia no programa tive a oportunidade de assistir, apresentar e discutir sobre vários temas que não são abordados na grade curricular normal do curso, além das discussões com base em livros de Gould e Mayr. Fora isso, os projetos em que trabalhávamos com as comunidades foram fundamentais para que eu desenvolvesse um lado mais social nos trabalhos que participo atualmente. Outros pontos importantes na minha formação foram as reuniões e discussões com alunos e professores de outros cursos, que me permitiram ter uma visão não tão “biológica” do ambiente acadêmico, além do boletim do PET, que foi o primeiro contato que tive com a escrita relacionada à ciência.”
CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/7734958355367813

 

Rafael Antônio Brandão

Formou-se em Ciências Biológicas na UFMA em 2014, participando do PETBio por três anos. Atualmente é mestrando em Biologia Animal (UFPE), trabalhando com Taxonomia de Anêmonas-do-mar (Cnidaria: Actiniaria).
A importância do PET para sua formação: “O PET contribuiu de forma ampla para a minha formação pessoal e profissional. Por um lado aprendi que não conseguiria chegar onde cheguei sozinho, por outro, vi que por melhor que fosse o meu grupo, minha dedicação seria fundamental para que eu conquistasse meus objetivos. Talvez a principal lição que tirei destes anos tenha sido aprender a reconhecer minhas limitações e, a partir delas, tentar ir além, sempre me esforçando mais e mais.”
CV Lattes:

 

Luciana Soares Lima

Formou-se em Ciências Biológicas na UFMA em 2015, participando do PETBio por três anos. Foi recentemente aprovada no Programa de Pós-Graduação em Biologia Vegetal da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE-turmas 2016), onde irá atuar na área de Ecologia de Populações e Comunidades, com enfase na Biologia Floral e Reprodutiva de Cactaceae na Caatinga, sob orientação da Profa. Dra. Isabel Cristina Machado.
A importância do PET para sua formação: “O PET ajudou na minha formação acadêmica através da leitura e apresentação de artigos em inglês, no debate de temas não vistos na graduação, experiências na organização de eventos, escrita de textos acadêmicos e participação em projetos que unem a pesquisa, o ensino e a extensão. Participar do PET para mim, foi umas das melhores coisas que vivi na graduação, aprendi muito e levarei para sempre os momentos e aprendizagens do grupo. Sinto orgulho de fazer parte da família PET BIOLOGIA :)”
CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/1911294351655987

 

Brenda Hellen Izidio de Paiva

Aluna de graduação do curso de Ciências Biológicas da UFMA. Participou do PETBio por um ano e oito meses.
A importância do PET para sua formação: “A primeira vez que eu pensei em fazer parte do PET-Bio, eu não imaginava a metade da importância que ele teria para a minha vida. Eu sempre quis fazer a diferença e enxerguei no Programa a chance de contribuir e de aprender me engajando nos projetos, nas atividades que ele desenvolve. Mas foi muito maior que isso! Fazer parte do PET foi uma experiência que superou minhas expectativas. Costumo dizer que o PET foi meu primeiro contato com o verdadeiro trabalho em equipe, desde discussões de planejamento até a execução das nossas ideias e o sentimento de dever cumprido depois que aquela tarefa dava certo. Tive a oportunidade de viajar para os encontros regionais e nacionais e de ser representante discente dos grupos PET do Maranhão, ajudando a fortalecer conexões e criar nosso encontro estadual, o MARAPET. Assim, o PET tornou-se o espaço onde eu pude sentir como realmente era a graduação, muito mais que apenas assistir às aulas diariamente. Com o PET aprendi a importância de planejar, de opinar, de cumprir acordos, seguir prazos, respeitar a diversidade de opiniões e a valorizar os recursos e as oportunidades que nós temos dentro da Universidade Pública, além de lutar por melhorias nela. Sobretudo, aprendi a ser mais responsável e a não desistir dos objetivos diante das dificuldades enfrentadas. Para mim, o PET significou muito mais que um Programa, mas uma peça fundamental para a minha formação, sendo sinônimo de aprendizados, alegrias, dedicação, esforços, experiências e críticas que me construíram e me trouxeram segurança e maturidade, não só para a bióloga que estou me tornando, mas também enquanto pessoa, indivíduo. Só tenho a agradecer pela oportunidade de crescimento que tive ao participar do PET-Bio e deixo meu encorajamento e incentivo àqueles que se interessam pelo programa.”
CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/3171546953254131

 

André Alvares Marques Vale

Formou-se em Ciências Biológicas na UFMA em 2015, participando do PETBio por três anos. Atualmente faz mestrado em Ciências da Saúde na mesma instituição.
A importância do PET para sua formação: “Fazer parte do PET-Biologia UFMA foi uma das experiências mais enriquecedoras da minha formação, tanto acadêmica quanto pessoal. Nestes anos em que estive no grupo aprendi muito sobre biologia, mas muito mais sobre o que significado de ser humano. Venci obstáculos, aprendi e fiz coisas que me julgava incapaz de fazer, conheci pessoas com ideias totalmente diferentes das minhas, chorei, ri, aprendi e, em um significado não biológico, evoluí. Tenho apenas que agradecer ao PET pelas oportunidades dadas e os desafios apresentados, creio que sou um biólogo e um Homo sapiens melhor devido a esse programa e as pessoas que fazem parte dele.”
CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/9169670752749325

 

Liana de Oliveira Trovão

Formou-se em Ciências Biológicas na UFMA, no semestre 2015.2. Participou do PETBio por aproximadamente quatro anos.
A importância do PET para sua formação: “O PET é um programa único dentro do ambiente acadêmico, onde realmente são bem trabalhados os três pilares da Universidade brasileira (pesquisa, ensino e extensão). Sendo assim, ele foi de extrema importância ao auxiliar a minha formação na graduação de uma maneira completa, me preparando para os novos desafios da carreira acadêmica, como os cursos de pós-graduação, como também para os desafios da vida, pois no PET eu aprendi a trabalhar em equipe e com pessoas de diferentes temperamentos, a construir um pensamento crítico e ter como característica a proatividade. Participar do PET biologia foi muito gratificante, pois consigo ver com bastante nitidez a mudança que aconteceu em minha vida (pessoal e profissional) ao longo de todos os anos que permaneci nele. Sempre agradecerei à tutora Gisele Garcia, pelos momentos de ensinamento e de amizade! Obrigada PETbio! “
CV Lattes:

 

Mariana Bonfim Pinto Mendes

Formou-se em Ciências Biológicas na UFMA em 2015, participando do PETBio por três anos. Atualmente é doutoranda em Biologia com ênfase em Ecologia Aquática pela Temple University, EUA (Linha de pesquisa e interesses: Bioinvasão Marinha, Ecologia de comunidades, Biogeografia).
A importância do PET para sua formação: “Sempre apaixonada e fascinada pelo exercício de ensino-aprendizagem, minhas vivências no PET Biologia foram fundamentais para definir minha ética profissional e maturidade acadêmica. Além de imensamente contribuir complementando o curriculo obrigatório, dentro do programa pude desenvolver habilidades que são essenciais para minha carreira como bióloga e acadêmica. As atividades dentro do PET transcendem o meio educacional e cientifico, e chegam até nossa construção cidadã e senso político. Para mim, o PET foi muito mais que enriquecedor em um curriculum vitae, me ajudou a compreender que educação e ciência no Brasil devem se fundamentar em união e diversidade.”
CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/3850763697495723

 

Marco Antônio de Menezes Ferreira

Formou-se em Ciências Biológicas na UFMA em 2015, participando do PETBio por três anos e nove meses. Em 2016 iniciará o mestrado em Zoologia do Museu Nacional da Universidade Federal do Rio Janeiro – UFRJ, onde trabalhará com ecologia e taxonomia de dípteros de interesse forense, com ênfase para a família Sarcophagidae.
A importância do PET para sua formação: “O PET contribuiu para o meu crescimento não só profissional, mas também pessoal. Estudar e discutir sobre uma diversidade de temas que não vemos na nossa graduação, apresentar seminários, elaborar projetos, e várias outras atividades, fizeram de mim um biólogo mais preparado para os futuros desafios na vida acadêmica. Além disso, lidar com as várias personalidades dos outros petianos, aliado ao trabalho em grupo, me fez uma pessoa mais madura. Ter feito parte do PET com certeza foi um diferencial e uma das melhores experiências que tive na graduação, além de ter me dado a oportunidade de conhecer pessoas incríveis que quero levar para o resto da vida. Sem dúvida alguma, recomendo a quem tiver a oportunidade, que participe do programa.”
CV Lattes:http://lattes.cnpq.br/2943709470857694

 

Clarisse Mendes Éleres de Figueiredo

Formou-se em Ciências Biológicas na UFMA, no semestre 2015.2. Participou do PETBio por aproximadamente dois anos.
A importância do PET para sua formação: “O PET foi fundamental para o meu desenvolvimento acadêmico e pessoal; os constantes desafios de unir ensino, pesquisa e extensão geram o complemento ideal para uma graduação que, sem o PET, teria se resumido praticamente a aulas e pesquisa.”
CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/0501482027831692

 

Andreia de Queiroz dos Santos Abreu Figueiredo

Graduou-se em Ciências Biológicas na Universidade Federal do Maranhão no segundo semestre de 2014. Atualmente faz MBA em Gerenciamento de Projetos. Participou do PETBio por dois anos e nove meses.
A importância do PET para sua formação: “O PET foi um ambiente de despertamento e desenvolvimento de habilidades que vão além da matéria apresentada em sala de aula, e transformam o bom aluno em um bom profissional e cidadão competente a ser a mudança necessária na realidade onde estamos inseridos.”
CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/7248347483563620

 

Antonio Augusto Lima Teixeira Júnior

Aluno de graduação do curso de Ciências Biológicas da UFMA. Integrou o PETBio entre agosto de 2014 e fevereiro de 2016.
A importância do PET para sua formação: “O PET foi capaz de unir em minha carreira o conhecimento científico, a ética e a responsabilidade no ensino, na pesquisa e na extensão, além de ter catalisado ainda mais o desenvolvimento do meu lado crítico. Fazer parte do Programa com certeza foi uma experiência muito enriquecedora, e com certeza continuarei aplicando as experiências no PET em meu dia-a-dia, seja em minha vida pessoal ou profissional.”
CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/6397459209414104

 

Thayrine Luane Martins Sardinha

Ingressou no curso de Ciências Biológicas da UFMA (modalidade Bacharelado) no primeiro semestre de 2012 e participou do PETBio por dois anos. No PET participa da Comissão de Edição do Boletim PETBio UFMA, além de exercer atividades na organização de eventos comemorativos e frequência. Atualmente trabalha com inventário de espécies de vespas sociais e solitárias. Está vinculada ao Laboratório de Ecologia e Sistemática de Insetos Polinizadores e Predadores- LESPP, sob orientação da Profª Dra. Gisele Garcia Azevedo. Seu projeto de monografia é intitulado: Assembleia de vespas (Hymenoptera: Vespidae) em um fragmento de mata de “terra firme”, Amazônia Oriental, Brasil. Suas áreas de interesse são Entomologia, Biologia Animal, Sistemática Filogenética, Taxonomia e Filosofia das Ciências.
Sua opinião sobre a importância do PET para a formação:“O PET proporciona uma nova visão de mundo acadêmica e pessoal, nos levando a refletir sobre nosso verdadeiro papel na sociedade. Reduz a especialização precoce uma vez que proporciona a realização de projetos, seminários com assuntos que possivelmente não são profundamente abordados na graduação. Além do estímulo do trabalho em equipe e responsabilidade acadêmica.”
CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/3150489645229475

 

Lays Stheffânny de Oliveira Silva

Ingressou no curso de Ciências Biológicas da UFMA (modalidade Bacharelado) no primeiro semestre de 2012 e entrou para o PETBio em setembro de 2014. No PET participa da Comissão de Edição e seção Eventos do Boletim PETBio UFMA, além de exercer atividades relacionadas à organização da biblioteca do grupo. Atualmente trabalha com caracterização e identificação de proteínas, vinculada ao Núcleo de Imunologia Básica e Aplicada (NIBA). Suas áreas de interesse são Bioquímica, Genética e Biotecnologia.
Sua opinião sobre a importância do PET para a formação:“O PETBIO ajuda o discente a encarar com mais profissionalismo o curso de Ciências Biológicas, além de ampliar os horizontes sobre certos assuntos que não são abordados na graduação. O PETBio aprimora as qualidades intrínsecas, bem como forma cidadãos.”
CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/3717904034574602

 

Marlla Maria Barbosa Arouche

Ingressou no curso de Ciências Biológicas da UFMA (modalidade Bacharelado) no primeiro semestre de 2012 e entrou para o PETBio em setembro de 2014. No PET participa da Comissão Científica do Boletim PETBio UFMA, além de exercer atividades relacionadas à divulgação das atividades externas do grupo e confecção de certificados. Atualmente trabalha no projeto QUEAMAR ( Quelônios aquaticos do Maranhão), coordenado pela Drª Larissa Barreto do departamento de Oceanografia da UFMA. Sua linha de pesquisa é com Tartarugas Marinhas. Já realizou trabalho voluntário na reserva biológica de comboios e no projeto TAMAR do Ceará. Suas áreas de interesse são Zoologia, Biologia Marinha e Psicologia.
Sua opinião sobre a importância do PET para a formação:“O PETBio me trouxe uma visão mais ampla do curso, uma vez que ele é um programa orientado pelo princípio do diálogo entre o ensino, a pesquisa e a extensão.”
CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/5645788319225858

 

Elda Ramos Macedo

Ingressou no curso de Ciências Biológicas da UFMA (modalidade Bacharelado) no primeiro semestre de 2012 e entrou para o PETBio em janeiro de 2015. No PET participa da Comissão Científica do Boletim PETBio UFMA, além de exercer atividades relacionadas à organização da biblioteca do grupo. Atualmente é estágiária do Núcleo de Imunologia Básica e Aplicada (NIBA), na área de biotecnologia com ênfase em proteínas do grupo das lectinas. Suas áreas de interesse são Bioquímica, Microbiologia e Imunologia.
Sua opinião sobre a importância do PET para a formação:“O PET é um centro formador de bons alunos e futuros bons profissionais à medida que expande as fronteiras do conhecimento e nos proporciona novas experiências na vida acadêmica.”
CV Lattes:

 

José de Ribamar Miranda da Silva Pereira

Participou do PETBio de 2014 a 2016.
Sua opinião sobre a importância do PET para a formação:“O Programa de Educação Tutoria – PET, tem sido de grande importância na minha formação acadêmica e pessoal. No PET tenho aprendido a importância de uma graduação bem assistida por momentos de leitura e discussões. As atividades desenvolvidas dentro do PET, tais como a leitura de artigos, apresentação de seminários, discussões de livros entre outras, tem me permitido toda essa aprendizagem. Além da convivência com os demais membros do programa, que é enriquecedora, me proporcionando muitos momentos de descontração, conversas produtivas e grandes amizades.”
CV Lattes:

 

Igor Vinícius Pimentel Rodrigues

Participou do PETBio de 2015 a 2017.
Sua opinião sobre a importância do PET para a formação:“O PET proporciona uma experiência acadêmica única e completa, uma vez que é alicerçado nos três pilares fundamentais da Universidade: pesquisa, ensino e extensão. Além disso, combate a especialização precoce, já que nos mostra uma visão holística das Ciências Biológicas e nos ajuda a ser profissionais mais éticos e humanos.”
CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/5782701415135234

 

Kauê Nicolas Lindoso Dias

Participou do PETBio de 2014 a 2016.
Sua opinião sobre a importância do PET para a formação:“Entrei na graduação com a consciência de que minha vida durante o curso não deveria se resumir a apenas assistir aulas, e logo de início vi no PET a oportunidade de exercer atividades extra-curriculares que me levariam a um maior amadurecimento para a vida acadêmica. Estar no PETBio proporciona a exploração de conhecimentos que sequer chegamos perto na graduação, adquirimos uma maior noção dos últimos avanços científicos da Biologia, além de treinarmos nossa escrita científica no Boletim PETBio, que também nos proporciona uma vivência em divulgação científica, ponto crucial para quem deseja ser um pesquisador e têm a consciência do papel da popularização da ciência. O PET oportuniza, também, a vivência do trabalho em grupo, além de colocar o aluno de frente a questões político-sociais importantes, estimulando o questionamento e o pensamento crítico.”
CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/7128004406948144

 

Tainá Constância de França Pinto

Participou do PETBio de 2015 a 2016.
Sua opinião sobre a importância do PET para a formação:“O PET como programa interdisciplinar proporciona ao estudante uma visão mais ampla da biologia, que muitas vezes acaba sendo unidirecional durante a graduação, além de levar o aluno a compreender suas responsabilidades como profissional e como pessoa, estimulando o pensamento crítico e respeito com o mundo.”
CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/6966953346813386

 

Gabriela Florêncio da Silva

Participou do PETBio de 2016 a 2017.
Sua opinião sobre a importância do PET para a formação:“O programa PET integra todos os envolvidos nos mais diversos assuntos que englobam a biologia, além de proporcionar o trabalho grupal e de estimular a proatividade e a organização.”
CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/0474274351751770

 

Emilly Caroline dos Santos Moraes

Participou do PETBio de 2014 a 2017.
Sua opinião sobre a importância do PET para a formação:“O PetBio é um importante espaço de crescimento, contribuindo de forma admirável para a formação de bons cidadãos e profissionais. Através das práticas de ensino, pesquisa e extensão, aprimoramos o nosso olhar sobre o que é ser biológo. O PetBio proporciona para cada um dos petianos a oportunidade de aprender, amadurecer, e claro, nos ajudar com a escrita e oratória, por exemplo.”
CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/3708070211898204